Encontro aborda programas de intercâmbio técnico e profissional entre Brasil, Portugal e Alemanha

A casa do Cooperativismo potiguar recebeu representantes de cooperativas e da comunidade em um evento que trouxe oportunidades de estudo e trabalho no exterior.

O evento iniciou com a palavra do Presidente da OCERN e SESCOOP-RN, Roberto Coelho da Silva, que falou sobre Oportunidades de Estudos em Portugal, através de um programa de intercâmbio com o país. “Este programa é fruto de uma parceria que iniciamos ainda em 2017 e concretizamos agora em 2018, através de um convênio com seis instituições de ensino superior de várias cidades de Portugal como, Coimbra, Cidade do Porto e Lisboa. Este acordo vai proporcionar que estudantes, inicialmente do Rio Grande do Norte, possam participar de cursos de graduação, mestrado e doutorado em Portugal”, explicou Roberto.

O convênio vai beneficiar, inicialmente, pessoas ligadas às cooperativas do Estado. “A Organização tem todo interesse em abrir também esta oportunidade à comunidade, de acordo com o nosso sétimo princípio cooperativista. Caso haja a vagas remanescentes, iremos abrir para participação de uma forma geral, sempre incentivando que estas pessoas integrem-se em alguma cooperativa, seja aqui no Brasil seja em Portugal”, destacou o Superintendente da OCERN, Dr. Eduardo Gatto.

Brasil/Alemanha

Logo após a explanação do intercâmbio técnico estudantil em Portugal, o representante da Universidade Steinbeis Hochschule Berlin (Alemanha), o Prof. Dr. Joahannes Müller, falou sobre oportunidades de intercâmbio profissional Brasil/Alemanha.

Müller apresentou o programa das agências de trabalho do governo da Alemanha e da União Europeia, mostrando as possibilidades de profissionais brasileiros trabalharem naquele país. “A Alemanha vive hoje um déficit de mão de obra qualificada, principalmente nas áreas da engenharia, tecnologia, desenvolvimento de softwares, enfermeiros e especialistas em cuidados geriátricos. É um problema para o nosso país e também para União Europeia. Estamos tentando minimizar com o programa de intercâmbio de profissionais. O processo inclui a aquisição do “Blue Card”, que é o documento para se trabalhar oficialmente em nosso país”, destacou o Professor.

Segundo o Presidente da OCERN e SESCOOP/RN, o sistema cooperativo pode contribuir para intermediar interessados em participar dos programas de intercâmbios técnicos. “A Alemanha vive a falta de mão de obra qualificada enquanto que o Brasil convive com a falta de oportunidades para profissionais de diversas áreas do conhecimento. Os programas de intercâmbio alemães estão aí para aqueles que buscam novas e interessantes oportunidades de emprego. E as cooperativas do Rio Grande do Norte podem dar uma grande contribuição neste sentido, já que conta com muita mão de obra qualificada”, afirmou Roberto Coelho.