História

Atitude pró-ativa pelo fortalecimento do cooperativismo

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) foi criado pela Medida Provisória nº 1.715, de 3 de setembro de 1998. A partir daí, as cooperativas passaram a receber em serviços a contribuição que antes recolhiam ao governo em benefício das instituições nacionais Senai, Sesc, Sesi, Senac, Senat, Sest, Sebrae e Senar.

Desde o princípio os resultados foram aparecendo. A distância organizacional que havia entre o cooperativismo nas diversas regiões do País começou a diminuir em função de sua organização ramificada em unidades estaduais. A partir de 2002, o Sescoop, por meio de sua arrecadação conseguiu realizar investimentos ainda mais significativos em programas de capacitação para cooperativas.

A quantidade de profissionais capacitados pelo Sescoop para atuar no setor saiu de 81 mil, em dezembro de 2000, para mais de 1 milhão, no acumulado até 2007. Com isso, tornou-se o principal estimulador da autogestão, da formação profissional, do monitoramento e da promoção social das cooperativas. O conjunto dessas ações contribui fortemente para o desenvolvimento sustentável do cooperativismo.

O Sescoop também colabora para a melhoria da qualidade de vida da população. Tanto, que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) – criado para medir o nível de desenvolvimento de um país, a partir de indicadores de educação, longevidade e renda – dos municípios onde existem cooperativas é sempre mais alto que os dos municípios sem cooperativa. Uma das explicações para isso é o caráter social dessas sociedades que, por não objetivarem o lucro, possibilitam a fixação dos recursos obtidos para o desenvolvimento da economia e da população locais.  ( fonte: www.brasilcooperativo.coop.br )