No Rio Grande do Norte, programa contribui para democratizar acesso à água limpa

Água na torneira é coisa rara no município de Caicó – escolhido para a celebração do Dia de Cooperar 2018. Distante 282 km da capital do Rio Grande do Norte, Natal – e o 7º maior em população (68 mil) num estado com 167 municípios -, Caicó sofre há anos com a seca. É por isso que o SESCOOP/RN e cooperativas, em parceria com a Prefeitura Municipal, inauguraram dentro da programação do Dia C, um poço de água limpa no bairro de Nova Descoberta. O poço vai beneficiar cerca de 15 mil moradores do bairro e adjacências, abrangendo também os bairros de Castelo Branco, Jardim Satélite e Canutos e Filhos.

Numa cidade onde é comum a população comprar água e não é qualquer uma que serve para cozinhar, um novo poço público é motivo de felicidade. A moradora Agatangela Maria de 52 anos vibrou, provou e aprovou a qualidade da água que jorra do poço. “Fiquei muito feliz. Esse poço tinha sido perfurado há 1 ano, mas estava sem funcionar. A qualidade sendo boa a gente usa até para cozinhar. Aqui é comum comprar água porque já ficamos até 30 dias sem ter água chegando da rua”, contou Agatangela Maria.

Na casa do agricultor aposentado, Valdemar Nivaldo, 68, a realidade não é diferente. Com água na torneira apenas três dias por semana o novo poço também vai melhorar a vida da família dele. “Ano passado vivemos uma crise grande e esse ano o inverno foi breve. Pode faltar água a qualquer momento, ninguém sabe. Com o poço todo mundo vai poder pegar um tambor de água”, contou satisfeito o agricultor aposentado.

Para Sônia Rocha, superintendente do SESCOOP/RN, não é preciso ter muito dinheiro, nem projetos mirabolantes para atender às necessidades do próximo. Ela acredita que atitudes simples como abrir uma torneira e jorrar água movem o mundo e fazem a diferença “Basta que você tenha sensibilidade, um olhar diferente e saber a real necessidade daquele que você pode ajudar. ”, pontua.

Se por um lado a cidade localizada no Sertão Potiguar sempre conviveu com a seca, por outro, essa dificuldade nunca serviu de desculpa para os seridoenses não irem em busca da realização de seus sonhos. É lá em Caicó que está localizada a primeira cooperativa do Seridó, que completa 40 anos em 2018, numa demonstração de persistência e delicadeza.

Fundada em 1978, a Cooperativa de Produção Artesanal do Seridó – Coase – participou junto com outras 11 cooperativas da celebração do Dia de Cooperar, realizada na Ilha de Sant’Ana. Na manhã do sábado (30/06), a população teve acesso a serviços gratuitos como atendimento médico, exames básicos de aferição de pressão arterial, glicemia, testes rápidos de DST’s, oficinas de primeiros-socorros, sabão ecológicos e doces, orientações de saúde bucal e entrega de kits, além de atrações culturais.

Uma das cooperadas da Coase é Laíse Tibúrcio, 48, que trabalha desde 22 anos fazendo bordados numa máquina de costura. A escolha pelo trabalho artesanal levou em consideração a possibilidade de trabalhar em casa cuidando com os filhos, num ofício que antes mesmo de realizar ela já admirava.

A bordadeira levou para Ilha de Sant’Ana sua máquina de costura e atraiu olhares curiosos. “Essa é uma oportunidade para gente mostrar, divulgar o nosso trabalho, e de o povo conhecer como é feito porque muita gente não sabe como é feito o bordado”, argumenta. Além de bordar, ela também ensina gratuitamente, em sua própria residência, essa arte a outras mulheres.

Já a artesã Alani Cavalcanti, 42 anos – que trabalha com tricô e patchwork – explicou que embora o bordado seja uma prática antiga, já tradicional, as cooperadas da Coase passam por atualização constate para produzir novidades. “A gente tenta inovar produzindo peças de roupas bordadas. Estamos fazendo curso de modelagem, corte e costura, de adaptação do bordado à roupa, porque uma coisa é o bordado da cama, mesa e banho e outra é o bordado da roupa”, contou.

Jovens aproveitam o Dia C para conhecer a história de cooperativas do Seridó

Marcílio Pereira, 17, e Alice Medeiros, 19, são dois dos 25 alunos do curso Mediotec – curso técnico voltado ao Ensino Médio realizado graças a uma parceria entre o SESCOOP/RN, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) – que aproveitaram a manhã de sábado para conhecer um pouco mais sobre as cooperativas do Seridó que participavam do Dia de Cooperar.

Marcílio contou que quando morava na Paraíba cuidava de animais e plantações. Ao vir morar em São João do Sabugi, teve a oportunidade de fazer o curso de Agronegócio. Já Alice escolheu ser aluna do curso de Cooperativismo, por acreditar ter mais chances de conseguir um trabalho na cooperativa da cidade voltada para o ramo da agricultura familiar.

Por ser uma cooperativa com anos de história na região, a Coase é motivo de interesse dos estudantes. A professora Adriana Dias relatou que trazer os alunos de São João do Sabugi – cidade próxima a Caicó – foi uma oportunidade para que eles conhecessem pessoalmente esses vários ramos de cooperativas, especialmente a Coase.

“Conhecendo essas histórias eles aprendem o quanto é importante a união de forças dentro do cooperativismo. Fazendo junto o trabalho sai numa quantidade maior e melhor do que se ele fosse feito sozinho.  Principalmente num momento como esse em que o país se encontra numa crise financeira, política e social. Trabalhando em conjunto, ganha todo mundo”, argumentou a professora.

Na manhã do sábado, a população teve acesso gratuitamente aos serviços de: atendimento médico, exames básicos de aferição de pressão arterial, glicemia, testes rápidos de DSTs, oficina de primeiro-socorros e ressuscitamento, orientações de saúde bucal, restauração e entrega de kits, atendimento a usuários do cadastro único, minicursos de técnicas de artesanato, doação de livros, oficina de confecção de sabão ecológico, oficina de doces, além de atrações culturais.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, cerca de 300 pessoas circularam pela área de eventos do Complexo Turístico da Ilha de Santana. A celebração do Dia de Cooperar 2018 no Rio Grande do Norte foi realizada na cidade de Caicó, com apoio da Prefeitura Municipal.

Por Priscila Adélia Pontes – Jornalista